fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 18 janeiro 2022
HomeArteSLAM SP e Brasil têm versões virtuais

SLAM SP e Brasil têm versões virtuais

O SLAM SP acontece entre 15 e 19 de setembro e vale uma vaga para o SLAM Brasil, entre 30 de setembro e 3 de outubro

Poetry Slam ou SLAM pode ser definido como um “jogo” ou ainda “esporte da poesia falada”. O SLAM SP e o SLAM BR, que sempre aconteciam presencialmente, vão ser realizados online, mas o conceito é o mesmo. Os slammers defendem seus versos em etapas classificatórias, julgados por pessoas escolhidas entre o público espectador. 

Além disso, é reconhecido como um movimento social, cultural e artístico. Seu objetivo é o de ser uma plataforma para criar espaços livres e democráticos.

O SLAM garante integração, principalmente do público, que também é o júri. Entretanto, neste ano, a votação será online. Depois que a nota mais alta e a mais baixa são retiradas, o competidor que conseguir a pontuação mais alta é o escolhido para a próxima etapa.

Roberta Estrela D’alva é uma das responsáveis pro trazer a cultura SLAM para o Brasil e conta que, ainda mais com todas as adversidades, realizar o evento é uma conquista.

 “Considerando as dificuldades que temos enfrentado no campo da cultura nos últimos dois anos e a necessidade de ouvirmos as vozes de poetas incríveis que nos ajudam a organizar um pouco esse caos, estamos felizes em conseguir realizar as edições do Slam SP e Slam BR em 2021, com uma participação expressiva das comunidades. Os campeonatos estaduais de slam acabaram se entrelaçando ao nacional, já que o formato on-line possibilita que poetas de vários países estados participem”.   

SLAM também é história

As batalhas de poesia falada surgiram nos anos 1980, nos EUA. O objetivo sempre foi democratizar a poesia. Além de ser um jogo cênico onde a torcida, a emoção e o senso de participação fazem parte do encontro.

É o casamento do texto com a habilidade de apresentá-lo no palco, que tem o público como jurado. As batalhas retratam dramas cotidianos, como a homofobia, o racismo, o machismo, preconceito, a violência, entre outros temas. Nelas, os poetas devem ler ou apenas recitar, sem acompanhamento musical, poesias autorais. 

Tanto o SLAM SP quanto o SLAM BR são apresentados pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, que comemora 20 anos. Formado por Claudia Schapira, Eugênio Lima, Luaa Gabanini e Roberta Estrela D’Alva, o coletivo pesquisa a linguagem e o diálogo entre a cultura hip-hop e o teatro épico.

 “Temos portanto esse ano no campeonato estadual Slam SP, representantes de Minas Gerais, do Ceará, do Acre, do Rio Grande do Sul. Isso aumenta as chances de termos poetas de outros estados no Slam Br, que esse ano vale vaga para a Copa América de Slam que acontece em novembro na FLUP – Festa Literária das Periferias”, completa Roberta.  

Slam da Guilhermina, das ruas para as redes

SLAM SP

Foto: Sergio Silva

O campeonato paulista de SLAM acontece de 15 a 19 de setembro, com transmissão pelo Facebook  e pelo YouTube.

São cinco dias de competições, oficinas e compartilhamento de ideias. Participam representantes de 26 slams da capital paulista, que venceram suas respectivas competições internas. 

A competição conta com participantes de várias partes da cidade. Sendo eles: Fernaun, Slam do Bronx ( Zona Sul); Rafael Antunes, Slam Perplexo (Zona Leste); Igor Chico, Slam do Pico (Zona Norte/noroeste); Midria, Slam USPerifa (Zona Oeste) e Bruna Motta, Slam Subterrâneo (Marília, centro-oeste paulista). 

Para começar os trabalhos, na quarta-feira, 15/9, às 18h, a professora Andrea Drigo faz uma oficina sobre voz e performance poética. A atividade é gratuita, via Zoom e é necessária a inscrição via formulário no link.

Em seguida, às 20h, Marcelino Freire faz uma ‘aula-show’ para dar as boas-vindas aos competidores. O escritor pernambucano, partindo de seu mais recente livro, “Ossos do Ofídio”, faz uma performance bem humorada. Além disso, nos dias 16 e 17/9, a partir das 18h, acontecem as eliminatórias e definem-se os colocados para as semifinais, que acontecem no sábado, 18/9, a partir das 18h. Antes, às 16h, Luaa Gabanini ministra a oficina “Slam e expressão corporal”.

No domingo (19/9), às 16h, haverá a exibição de “Slam – Voz de Levante”, seguido por debate com as diretoras do documentário Roberta Estrela D’Alva e Tatiana Lohmann. Às 19h acontece a grande final, com os seis poetas que ficaram nas três melhores posições das duas semifinais. Os primeiros classificados no SLAM SP são representantes do estado no SLAM BR.  

SLAM BR

Durante quatro dias, entre 30 de setembro e 3 de outubro, os vencedores estaduais dos “poetry slams” competem para conquistar uma vaga na Copa América.

Será a primeira edição do “Abya Yala – Copa América de Slam”, realizada em novembro na FLUP (Festa Literária das Periferias), no Rio de Janeiro.

A partir daí, saem os representantes do continente que participarão do primeiro Festival Mundial de Poetry Slam (World Poetry Slam Festival – WPSF) organizado por representantes dos cinco continentes e que será realizado na Bélgica em setembro de 2022. 

O oitavo ano do SLAM BR traz os poetes campeões e campeãs de 12 estados, além do Distrito Federal. Os estados participantes são: Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Paraíba, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo. 

No primeiro dia, 30/9, haverá o sorteio das chaves do torneio. A partir das 18h, acontecem as primeiras eliminatórias. Dessa forma, na sexta-feira (1/10), as eliminatórias prosseguem.

Com doze poetes escolhidos, as duas semifinais acontecem no sábado (2/10), às 18h e às 20h. Então, a grande final será no domingo, às 18h. O vencedor será o representante brasileiro na 1ª Copa América de Poetry Slam, que acontecerá no Rio de Janeiro, no final de novembro de 2021 e valerá vaga para a Coupe du Monde de Slam.   

A poesia já pertenceu somente aos meios acadêmicos. Assim como nos saraus mais tradicionais. Por isso, a ideia do formato poetry slam, é democratizar a poesia e devolvê-la às pessoas tendo como ponto de partida um jogo cênico onde, como em todo jogo, a torcida, a emoção e o senso de participação façam parte do encontro.  

SERVIÇOS SLAM SP 2021

De 15 a 19 de setembro de 2021

Quarta a sexta das 18h às 22h, sábado e domingo às 16h às 22h

Transmissão, via Zoom, no canal do YouTube e pelo Facebook.

Todas as atividades são gratuitas e acessíveis em Libras.

Fleyer Campeonato de SLAM SP
Divulgação: Flyer Campeonato de SLAM SP

SLAM BR 2021, acontece de 30 de setembro a 3 de outubro. Na quinta-feira, das 17h às 22h, já na sexta e sábado, o evento é das 18h às 22h. Domingo às 18h às 20. A transmissão será via zoom pelas redes sociais.

Compartilhe

Maria Angélicahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Tenho 22 anos, sou nascida e criada no litoral, caiçara com muito orgulho. Além disso, também sou formada em Comunicação Social - Jornalismo. Sempre me encantei com o poder das palavras e por isso sinto que o jornalismo me escolheu, durante a minha breve trajetória profissional tive a oportunidade de contar histórias lindas e é o que pretendo continuar fazendo.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES