fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 07 dezembro 2021
HomeDançaSapatilha de Ingrid Silva vira peça de museu nos EUA

Sapatilha de Ingrid Silva vira peça de museu nos EUA

Ela faz história! A bailarina e ativista brasileira Ingrid Silva tem uma de suas antigas sapatilhas adicionada ao acervo do Museu Nacional de Arte Africana Smithsonian, nos Estados Unidos.

Tornar a sapatilha uma peça de museu é um ato carregado de significado não só para o mundo das artes, mas pela história do povo preto em si. Isso porque Ingrid, durante muitos anos, teve que pintar suas sapatilhas com base para que elas ficassem do seu tom de pele.

Grávida do seu primeiro filho, ela revelou recentemente no seu Instagram como ela imagina o momento que contará para o seu filho esse momento histórico na sua luta contra o racismo.

Muitos não sabem, mas no ballet as sapatilhas representam a continuação do corpo do bailarino, sendo necessário que elas tenham a mesma tonalidade de quem a usa. “Aí alguém vai falar mas elas são rosas, sim porque ballet foi inventando por pessoas brancas e o rosa e o mais próximo do tom da ‘pele’ deles. Embora ninguém seja rosa”, declarou Ingrid em um post no Instagram.

Em novembro do ano passado, a integrante do Dance Theatre do Harlem, em Nova York, comemorou o início da fabricação e distribuição das sapatilhas em tons de marrom e bronze para bailarinas negras. E ela sempre vibra por essa conquista nas suas redes socias. “Sem palavras pra descrever meu sentimento ainda por esta conquista histórica, que por anos estará na vida de muitos e de gerações por vir!”, afirma.

O Museu Nacional de Arte Africana Smithsonian também publicou no Instagram sobre este novo item do seu acervo:

“Para combinar as sapatilhas com o tom de pele, a bailarina profissional negra Ingrid Silva pintava com base sua marca preferida, Chacott.

Ingrid é do Rio de Janeiro, Brasil. Ela se mudou para a cidade de Nova York aos 18 anos para treinar no Dance Theatre of Harlem, onde agora é a principal integrante da companhia. Em 2017, fundou a EmpowHerNY, uma plataforma internacional de empoderamento das mulheres. Ela também orienta bailarinas negras.

Esta sapatilha de ponta é do par que ela usou na temporada 2013-2014, agora na nossa coleção @nmaahc. A marca Chacott fez uma sapatilha na cor da pele de Ingrid em 2019.”

Compartilhe

- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES