fbpx
19.5 C
São Paulo
quarta-feira, 08 dezembro 2021
HomeMúsicaRoger Deff lança "Pra Romper Fronteiras"

Roger Deff lança “Pra Romper Fronteiras”

O segundo álbum do rapper é uma homenagem à toda a cultura hip-hop.

Roger Deff chegou mais uma vez com tudo. Seu novo álbum, “Pra Romper Fronteiras”, é uma ligação íntima entre o passado e o futuro do hip hop. Podemos definir esse trabalho como o fruto de um legado, afinal, o rap é muito mais que um estilo musical, é uma forma de viver.

O disco conta com oito faixas e foi produzido por Sérgio Giffoni, antigo parceiro de
Deff no grupo Julgamento, e Fernando Macaco. Participam do álbum Sérgio Pererê,
Michelle Oliveira e os DJs Flávio Machado e Hamilton Júnior. Todas as faixas do novo disco foram gravadas no período da pandemia.

Gravei todas as vozes da minha casa, com os recursos que tenho, e enviei para o estúdio para que Giffoni e Fernando produzissem. Foi a primeira vez que fiz um trabalho inteiro assim”, relata Deff.  

O lançamento já está disponível nas plataformas de streaming digital como YouTube e Spotify.

MC Roger Deff se prepara para o lançamento de “Utópico”

O que é preciso ‘Pra romper fronteiras?’

O rompimento nem sempre é algo ruim. Romper os padrões pode significar uma conquista. Para Roger, romper é continuar fazendo arte, mesmo quando o mundo parece trabalhar contra. Carregar o peso de mudar vidas por meio da música é um fardo pesado, mas que compensa. O hip hop é uma cultura que estabelece pontes que e rompe os paradigmas.

Capa do álbum "Pra Romper Fronteiras
Capa do álbum “Pra Romper Fronteiras” | Foto: Divulgação

Dessa forma, transforma os jovens negros e periféricos em protagonistas de suas próprias histórias, influencia o poder do coletivo, é realmente um legado. Esse conceito faz o álbum se diferenciar e está presente até na produção da capa. As artes são do grafiteiro e ilustrador Binho Barreto. O artista traduziu nas capas as mensagens dos singles, com inspirações nas HQ’s de Robert Crumb e do rap produzido na década de 90 por ícones domo Public Enemy e DelaSoul.

Além disso, a sonoridade das músicas também trazem a estética dos anos noventa, com jazz e o soul.

Confira “É Pra Ser”, uma das faixas do álbum, gravada com Michelle Oliveira.

Compartilhe

Maria Angélicahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Tenho 22 anos, sou nascida e criada no litoral, caiçara com muito orgulho. Além disso, também sou formada em Comunicação Social - Jornalismo. Sempre me encantei com o poder das palavras e por isso sinto que o jornalismo me escolheu, durante a minha breve trajetória profissional tive a oportunidade de contar histórias lindas e é o que pretendo continuar fazendo.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES