fbpx
19.5 C
São Paulo
domingo, 22 maio 2022
HomeCelebridadesMulheres negras pioneiras pelo mundo

Mulheres negras pioneiras pelo mundo

Mulheres negras pioneiras pelo mundo: para quem está se sentindo sozinha no caminho que está percorrendo ou precisando de inspirações, pensamos em algumas mulheres pretas que, como é muito comum de acontecer entre nós, abriram caminhos para as que viriam depois.

É certo que temos terrenos tortuosos pela frente, mas precisamos reconhecer o que já fizemos até aqui!

Diz aí: quem faltou nessa lista?

Erica Malunguinho participa de Movimento III, nova obra cinematográfica de Mario Lopes

Mulheres negras pioneiras pelo mundo

Sônia Guimarães, a primeira mulher negra a obter um PhD em física no Brasil. (Foto: Reprodução)

Ingrid Silva lança o livro “A sapatilha que mudou meu mundo”

Sônia Guimarães

Sônia Guimarães foi a primeira mulher negra a se tornar doutora em física no Brasil. Com mestrado pela USP e doutorado pela University of Manchester Institute of Science and Technology, atualmente é professora no Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA).

Serena Williams revela o que é ser uma mulher negra no Tênis

As irmãs Williams, que recentemente ganharam um filme na Disney. (Foto: Reprodução)

As irmãs Williams

Venus e Serena Williams foram as primeiras atletas negras a serem consideradas número 1 do mundo no tênis.

6 jornalistas negras para acompanhar durante o mês da Consciência Negra

Naomi Osaka vence como ‘Melhor Atleta de Esportes Femininos’ no ESPYS

Claudia Jones

Claudia Jones foi uma jornalista nascida em Trindade e Tobago que, ainda criança, se mudou para os Estados Unidos. Ao ser deportada por seu envolvimento com o partido comunista, Jones passou a residir na Inglaterra, onde fundou o primeiro jornal negro de destaque da região, além de um dos carnavais mais famosos do mundo.

Nós, mulheres da periferia lançou uma websérie

Antonieta de Barros, a primeira deputada estadual negra do Brasil. (Foto: Reprodução)

Refugiados lançam o livro “Narrativas: Exílios e Encontros” sobre suas histórias e cultura, no sábado (5)

Antonieta de Barros

Antonieta de Barros, além de ter atuado na alfabetização de pessoas em vulnerabilidade e de ter fundado o jornal “A Semana”, onde falava sobre desigualdade racial e de gênero, foi a primeira deputada estadual negra do Brasil.

Em 1 de abril de 1940, nascia Wangari Maathai

Wangari Maathai, além de muitas outras conquistas, foi a primeira mulher africana a receber um prêmio Nobel. (Foto: Reprodução)

Projeto pedagógico de Thata Alves ensina filosofia africana

Wangari Maathai

O pioneirismo de Wangari Maathai começa desde sua formação básica: ao questionar porque seus irmãos iam à escola e ela não, ela não só se formou como foi estudar no exterior, retornou ao seu país de origem com um mestrado e foi a primeira mulher a receber seu PhD, pela Universidade de Nairobi, no Quênia. Além disso, também foi a primeira africana a receber um Prêmio Nobel da Paz.

Marina Freitas é convidada da coluna mensal do Itaú Cultural no dia 09

Dr. Ruth J Simmons, a primeira mulher negra a ocupar uma posição de comando em uma das universidades da “Ivy League”, nos Estados Unidos. (Foto: Reprodução)

Lugar de mulher é onde ela quiser: mulheres negras na ciência

Dra. Ruth J. Simmons

Se a vida acadêmica já é difícil para mulheres negras hoje, imaginem em 1973. Ainda assim, nesta época, a hoje doutora Ruth J. Simmons conquistava seu PhD em literatura em Harvard e, em 2001, se tornou a primeira mulher negra a comandar uma das grandes universidades dos Estados Unidos.

O Teatro Experimental do Negro

Ruth de Souza, a primeira mulher negra a estrelar uma novela da Globo. (Foto: Reprodução)

Ruth de Souza

Ruth de Souza foi a primeira atriz negra a protagonizar uma novela da Rede Globo, em 1969, e a primeira a ser indicada a um festival internacional de cinema, em 1954.

Compartilhe

Thais Senahttps://todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES