fbpx
19.5 C
São Paulo
domingo, 14 agosto 2022
HomeAgendaLadies sing the blues estreia em 11 de dezembro

Ladies sing the blues estreia em 11 de dezembro

Até o dia 13 de dezembro, Ladies sing the blues faz apresentações presenciais na Biblioteca Mário de Andrade

Como seria se Nina Simone, Billie Holiday e Elza Soares subissem juntas ao palco? O Ladies sing the blues traz esse encontro fictício entre esses três grandes nomes, com direção de Jessica Madona e Savina João, que coloca as mulheres no mesmo espaço cênico, ecoando em conjunto suas diásporas pessoais.

Números musicais são intercalados com trechos narrativos, que recuperam as trajetórias de coragem dessas grandes artistas. Nina Simone, Billie Holiday e Elza Soares têm muito mais em comum do que parece. Usaram suas vozes na denúncia da discriminação contra negros em sociedades estruturalmente racistas e fizeram de suas artes uma forma de resistência.

Ladies sing the blues

Divulgação do espetáculo Ladies sing the blues estreia em 11
Divulgação do espetáculo Ladies sing the blues estreia em 11/12 | Foto: Reprodução

A Carne, Strange Fruit Mississipi Goddamn foram aclamadas e se tornaram hinos contra a violência racial que vitimava negros. Gravadas em momentos diferentes, denunciaram práticas de segregação e atentados contra negros nos Estados Unidos e no Brasil.

“A Carne”, composição de Seu Jorge, Marcelo Yuka e Ulisses Cappelletti gravada originalmente pelo grupo “Farofa Carioca” entrou para o repertório de Elza Soares em 2002, quando lançou o álbum “Do cóccix até o pescoço”, porém, no espetáculo, a música escolhida para representar um dos enfrentamentos do racismo foi Etnocopop, de Carlinhos Brown, que também está no álbum, e é uma crítica à violência perpetrada aos negros pelos policiais.

Composta em 1936 pelo professor universitário Abel Meeropol, Strange Fruit fala em três estrofes sobre os sangrentos linchamentos no sul dos Estados Unidos. Billie musicou o poema em 1939, gravou-o pela Commodore Records e o apresentou em Nova Iorque no mesmo ano.

Já Mississipi Goddamn escrita por Nina foi aclamada pelo movimento negro estadunidense e denuncia o atentado racista que matou quatro crianças negras numa igreja batista e reflete sobre a condição de ser uma mulher negra nos Estados Unidos. 

Rodrigo França assina linha de roupas e acessórios da marca NEGREI

Coletiva 3 de Nós

Coletiva 3 de nós com o espetáculo Ladies sing the blues estreia em 11
Coletiva 3 de nós com o espetáculo Ladies sing the blues estreia em 11/12 | Foto: Divulgação

Criada em 2017, a Coletiva 3 de Nós estreou em São Paulo em 08 de março de 2018 (Dia Internacional de Luta das Mulheres), com o espetáculo “A Mais Forte”, a partir de leitura atualizada do texto homônimo de August Strindberg, no Teatro Sérgio Cardoso.

Em seguida, este espetáculo circulou pela SP Escola de Teatro (sede Praça Roosevelt), pelo Sesc Itaquera e foi contemplado pelo Edital de Circulação de Artes Cênicas da Fundação Cultural de Jacareí/SP, onde circulou em duas oportunidades em 2019 e 2020. “Maria da …”, solo da performer Savina João sobre assédio sexual vivenciado em sua cidade natal (Teresina/PI) e no ambiente institucional do Tribunal Regional do Trabalho da Segunda Região é a segunda obra da Coletiva, cuja abertura de processo se deu em 2020, ao longo da 5º Ocupação Ovárias (edição on-line e de abrangência nacional), e segue em processo criativo permanente em ambiente virtual.  

“Todos Te Amam Até Você Se Assumir Preta”, solo da performer Jessica Madona, criado em resposta ao assassinato de George Floyd nos EUA, sobre o processo de reconhecimento de sua pretitude e sobre os desafios de ser mulher preta no Brasil, é a terceira obra da companhia.  

Selecionado entre 188 trabalhos, compôs o 4º Mulheres em Cena (realizado pela Cia Fragmento de Dança de São Paulo/SP) em OUT/20, quando estreou. Integrou a Bienal Black Art Brazil (edição Arte Sem Fronteiras) em NOV/20. Foi selecionado pelo edital Ondas da Cultura, realizado pela FUNARJ/RJ.

Entre 1800 trabalhos, foi selecionado pelo Museu de Arte Contemporânea do Paraná e comporá o 67º Salão de Arte Paranaense em 2022. Foi selecionado pelo Edital Proac Lab da Lei Aldir Blanc do Governo do Estado de SP, cuja temporada on-line ocorrerá entre os dias 18 e 28 de fevereiro de 2021.  

Set list – Espetáculo Ladies sing the blues

Elza Soares

Banho Etnocopop

Desabafo

A mulher do fim do mundo

Nina Simone

Mississipi Goddamn

Feeling Good

I Put a Spell on You

Ain’t Got No / I Got Life

Billie Holiday

Solitude

All of me

Strange Fruit

Fine and Mellow

Serviço:

Ladies Sing The Blues

Dias 11, 12 e 13 de dezembro (Sab/Dom/Seg), às 19h00, na Biblioteca Mário de Andrade (metrô República)

Grátis

Acesso para portadores de necessidades especiais

Capacidade reduzida – 60 lugares

Mesmo sendo presencial, é necessário retirar antecipadamente os ingressos pelo Sympla

Biblioteca Mário de Andrade. Rua da Consolação, 94 – República

Classificação indicativa: 14 anos

Duração: 60 minutos

Ficha técnica:

Direção geral: Jessica Madona e Savina João

Assistente de Direção: Larissa Mauro

Dramaturgia: Larissa Mauro e Jessica Madona

Colaboração dramatúrgica: Savina João 

Elenco: Danuza Novaes, Jessica Madona, Jhenny Santine, Lua Bernardo Rayra Maciel 

Direção musical: Rayra Maciel

Figurino: Jessica Madona

Cenografia: Savina João

Assessoria de imprensa: Adriana Monteiro (Ofício das letras) 

Compartilhe

- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES