fbpx
19.5 C
São Paulo
segunda-feira, 29 novembro 2021
HomeNotíciaSérie de Colin Kaepernick recebe ameaça

Série de Colin Kaepernick recebe ameaça

Colink Kaepernick in Black and White, série dirigida por Ava DuVernay, sofre ameaça de grupo supremacista branco.

Não é de hoje que falamos sobre Colin Kaepernick. Sobre a importância e as consequências de seu ativismo e a série dirigida por Ava DuVernay contando seu legado. A série está no período de gravação e, apesar de Kaepernick não ter aparecido no set na semana passada, as ameaças parecem ter sido sérias.

Colin Kaepernick in Black and White

Colin Kaepernick in Black and White (Colink Kaepernick em preto e branco, em tradução livre) é uma série original da Netflix. A produção é dirigida por ninguém menos que Ava DuVernay. Nela, vemos a história da vida de Kaepernick e a sequência de eventos que o levaram ao momento em que ele encontrou, através do esporte, uma forma de protestar contra a brutalidade à vida de pessoas negras.

Série aguardada sobre a vida de Colin Kaepernick sofre ameaça de grupo supremacista branco. (Foto: Reprodução)

Aparentemente, nem todos estão ansiosos para a estreia da série. O TMZ alega que a produção recebeu avisos de um protesto. O protesto supostamente aconteceria na última sexta-feira. Mas acabou não se concretizando. Além disso, também haveria uma ligação ameaçadora de um grupo supremacista branco.

Apesar de não sabermos o tom da ameaça, a consequência foi uma série de medidas de proteção compartilhadas por toda a equipe – que o próprio TMZ se recusou a divulgar como forma de manter a segurança dos envolvidos.

A ameaça teria vindo de um grupo chamado Proud Boys, que é um grupo supremacista branco, exclusivamente masculino e neofascista que promove violência nos Estados Unidos e no Canadá.

Compartilhe

Thais Senahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES