fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 07 dezembro 2021
HomeNotíciaJennifer King: a primeira negra técnica da NFL

Jennifer King: a primeira negra técnica da NFL

Jennifer King é primeira mulher negra a se tornar assistente de técnico em tempo integral pela NFL.

Esse final de semana, indiquei a série “Afronta” pra uma amiga. O episódio da Ingrid Silva, mais espeficicamente. A gente estava conversando sobre uma bailarina que não tem os braços e o quanto deve ter sido difícil pra ela chegar até o lugar de destaque em que as pessoas sabem, pelo menos na internet, quem ela é. E eu lembrei que, nessa série, a Ingrid também fala sobre não ter uma referência em quem se espelhar e como isso a fez achar que muitas coisas não eram possíveis. O mesmo pode ser dito sobre Jennifer King.

Jason Wright é o primeiro presidente negro da NFL

Jennifer King

Aos 36 anos, Jennifer King acaba de se tornar a primeira assistente de técnico negra da NFL. Seu histórico anterior diz muito sobre sua caminhada: ela esteve em campo, como jogadora profissional, de 2006 a 2019. Seus times foram Carolina Phoenix, New York Sharks e D.C. Divas.

Gridiron History: Reidsville's Jennifer King becomes first female African  American to land full-season coaching gig in the NFL | Latest News |  greensboro.com
Jennifer King é primeira mulher negra a se tornar assistente de técnico em tempo integral pela NFL. (Foto: Reprodução)

Ela também já participou do Fórum de Carreiras Femininas na NFL e, de 2015 a 2018, fez parte dos programas de coaching da NFL (vale lembrar que “coach” em inglês significa “técnica/o”, posição que ela ocupa agora).

Em entrevista ao programa Good Morning America, King fala sobre o que a nomeação representa para ela e também para sua comunidade. Ela é a primeira mulher negra a ocupar a posição de assistente de técnico em tempo integral, mas este não é um recorte exclusivamente de gênero. Há apenas dois homens negros como técnicos também.

Nas palavras de King, representatividade importa muito: “Essencialmente, neste momento, nós somos o que não tivemos enquanto crescíamos. Penso que isso é algo que não levamos na brincadeira, eu sei que eu não levo. Acho que é muito importante que eu seja uma boa representante, de ser o que eu não tive. Não tive ninguém que se parecesse comigo trabalhando. Conseguir ver isso é gigante. Acho que é muito legal fazer parte disso e continuar fazendo um ótimo trabalho.”

Como diria Rashid… cê já teve um sonho?

Jennifer King não fala por falar. Em seu perfil nas redes sociais, vemos seu comprometimento com as causas que representa: ela mostra seu trabalho duro da mesma forma que enaltece as pessoas que admira. Inclusive, sua agente também é uma mulher negra, Nicole Lynn.

Na entrevista ao Good Morning America, ao receber as felicitações por seu novo cargo, King ouve “se você pode ver, você pode ser”. Eu não sei pra vocês, mas, pra mim, referência é uma questão bastante importante (já até levei pra terapia). Jennifer King diz para não aceitarmos “não” como resposta. Imagina o quanto ela deve ter passado por situações adversas pra chegar até aí? Mas que bom que ela existe pra que outras meninas (e meninos também!) tenham em quem se inspirar pra realizar seus sonhos.

Compartilhe

Thais Senahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES