fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 18 janeiro 2022
HomeNotíciaHistórias Cruzadas e seu dilema

Histórias Cruzadas e seu dilema

Entre um título que questiona a humanidade de pessoas negras, a atuação de duas grandiosas referências do cinema atual e uma cena icônica, como não assistir a Histórias Cruzadas?

É fato que Histórias Cruzadas traz uma cena icônica para toda uma geração. Sem contar as maiores rainhas que você respeita, Viola Davis como Aibileen Clark e Octavia Spencer como Minny Jackson. Então, o que mais a gente poderia querer? Bom, muito mais.

Histórias cruzadas ou histórias recontadas?

A essa altura do campeonato, não deve ser novidade para mais ninguém: a própria Viola Davis já disse se arrepender de ter atuado em Histórias Cruzadas. A história é sobre mulheres negras que trabalharam como empregadas domésticas no Mississipi nos anos 60. No entanto, os envolvidos na direção e produção do filme são brancos. Davis diz ter gostado de atuar com seus colegas de trabalho. Mas também que sentia que o filme não dava voz verdadeiramente para que mulheres negras contassem suas próprias histórias.

O filme

O filme conta a história de mulheres negras nos anos 60, no Mississipi, e suas relações com as famílias para as quais trabalham. Várias passagens são interessantes para despertar reflexões: o modo como as crianças são apegadas à essas mulheres, o modo como elas também se apegam às crianças, mas também os banheiros fora de casa reservados para estas mulheres, o modo como eram acusadas ou tratadas como mercadoria. Aparentemente, essas reflexões também vêm à tona no filme e por isso uma jornalista branca resolve falar por essas mulheres por meio de um livro.

Ah, vale mencionar que o nome original do filme, The Help, é a expressão usada para se referir às pessoas que estão em um lugar para servir, justamente como se fossem menos. Ou, como estamos cansades de ver acontecer, para ter sua humanidade retirada.

12 dos melhores filmes negros de terror

A cena icônica

Feitas todas estas ressalvas, ainda assim não podemos deixar de enaltecer a cena I-N-C-R-Í-V-E-L de Octavia Spencer dizendo “EAT MY SHIT”. Inclusive recomendo assistir com o idioma original. Eu nunca assisti em português, mas em inglês tem até o charme de ela reproduzir o sotaque do Mississipi enquanto olha para a ex-patroa.

Me desculpa, mas quem disser que assistiu esse filme e não esboçou no mínimo um sorriso nessa cena está mentindo. Eu mesma, que não tenho nenhum talento desenvolvido para as artes cênicas, já encenei esse momento em algumas aulas e já vi alguns alunos fazendo o mesmo. Não conheço um ser humaninho que tenha assistido a esse filme e não tenha sido impactado por esse momento. Todo mundo (que é preto) em algum momento já se sentiu assim. Octavia Spencer fala por nós naquele momento.

Por isso, embora haja questões a serem consideradas a respeito da beleza desta produção cinematográica, o valor da atuação de Octavia Spencer é, sim, inegável. Por isso também escolhemos representá-la em uma das artes da Loja TNM Shop, que você pode adquirir clicando no link da imagem! E aí, você assistiria ou não a Histórias Cruzadas? Se já assistiu, compartilhe sua opinião com a gente! Quem sabe não descobrimos mais alguma coisa sobre o filme?

Aceita um pedaço de torta? Clique na imagem para ir para a loja virtual!

Compartilhe

Thais Senahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES