fbpx
19.5 C
São Paulo
sexta-feira, 01 julho 2022
HomeCinemaFilme “Medida Provisória” torna-se case de distribuição de impacto

Filme “Medida Provisória” torna-se case de distribuição de impacto

Com apoio de empresas como Genera e AmorSaúde, proposta de facilitar acesso do público à cultura já impactou mais de dez mil pessoas - número que deve dobrar nas próximas semanas.

No dia 14 de abril, a Elo Company lançou nos cinemas de todo o Brasil um dos filmes mais aguardados dos últimos anos, “Medida Provisória”. Primeiro longa de ficção dirigido por Lázaro Ramos, a obra se passa num futuro distópico em que o governo brasileiro decreta uma medida que obriga os cidadãos negros a voltarem à África, como forma de reparar os tempos de escravidão. A partir desse conflito e da história de amor vivida pelos personagens de Taís Araújo (Capitú) e Alfred Enoch (Antonio), o filme debate questões sociais e mistura humor, drama e thriller.

“O filme, que contou com 850 profissionais negros à frente e atrás das câmeras, e traz um tema de grande relevância à sociedade brasileira, pedia uma estratégia diferenciada de distribuição. Tivemos a sorte de ter um grupo extremamente experiente de produtores (Daniel Filho, Rodrigo Saturnino, Claudia Bejarano e Tania Rocha) abertos à inovação. Fizemos um brainstorming de estratégia de lançamento e uma das perguntas era – como podemos levar ao cinema a população de baixa renda? Foi daí que surgiu o projeto das sessões de impacto, com diversas empresas patrocinando a ida de seus funcionários e/ou ONGS parceiras aos cinemas, em busca de letramento racial”, comenta Sabrina N Wagon, CEO da Elo Company.

Em uma sociedade estruturalmente racista, é necessário estudo, cuidado e respeito para mudar esses alicerces. O letramento racial é uma ação em busca por conhecimento sobre o tema, com o intuito de desenvolver a capacidade de interpretar códigos e práticas racistas que estão no dia a dia, fornecendo ferramentas para ampliar a luta antirracista. A intenção de levar empresas, ONGs e mestres/alunos para prestigiar o filme é propor uma reflexão a partir de sua narrativa e ampliar a discussão sobre o tema em diferentes âmbitos da sociedade – partindo do ambiente de trabalho para o familiar, em rodas de conversa com amigos, dentro de salas de aula, etc.

Facilitar o acesso das pessoas à cultura é uma meta consolidada nos projetos de Lázaro Ramos, que entende que barreiras sociais e econômicas podem distanciar o público de diversas obras teatrais, audiovisuais e musicais. Consciente da importância do “Medida Provisória” para a cultura e história do Brasil, e atrelando entretenimento à causas sociais, Lázaro e Elo Company, viabilizaram o projeto das sessões de impacto, em dois formatos:

1. Sessões fechadas com colaboradores de uma determinada empresa ou organização seguida de debate e ações de letramento racial;
2. Sessões com participação de membros de comunidades, alunos e organizações sociais, patrocinadas por empresas comprometidas com o tema.

Diversas empresas já apoiaram a ação, como Genera e AmorSaúde, e outras três grandes marcas seguem organizando sessões fechadas com seus colaboradores.

“O filme traz uma pauta super importante e necessária sobre racismo e resgate histórico por parte da população negra brasileira, que teve sua história apagada. A sinergia da temática de Medida Provisória com um dos propósitos da Genera é pulsante. Os testes de ancestralidade são uma ferramenta de autoconhecimento e muitas pessoas nos procuram querendo saber mais sobre suas origens e seus ancestrais. Diariamente recebemos relatos emocionantes de pessoas negras descobrindo um pouco mais da sua história. Quanto mais tivermos acesso às informações dos nossos antepassados, maior será o nosso autoconhecimento. E essa ação das sessões de impacto é uma ótima ferramenta para acelerar a discussão sobre o tema do filme, que está completamente ligado à nossa sociedade, ao que sabemos do nosso país e sua população. Esperamos muito que o público contemplado tenha sido impactado pelas mensagens que o longa propõe”, comenta Talita Melo, Head de Marketing da Genera, uma das empresas patrocinadoras da ação.

Há alguns anos, a Elo vem trabalhando em projetos de entretenimento de impacto social, como a produção do documentário “A Verdade da Mentira”, que foi acompanhada de ações de formação sobre identificação de fake news nos Tribunais Regionais Eleitorais (TRE); o projeto de difusão “Curta como Quiser”, primeiro festival Multimeios de Curta-Metragens, idealizado e realizado pela Elo Company, associado a CPFL Energia, que pretendia  estimular e promover a expressão artística por meio do audiovisual, contando histórias dentro da temática Relações Contemporâneas, e o SELO ELAS, iniciativa que visa maior equidade de gênero na direção audiovisual. 

“Venho do mercado financeiro e criei a Elo porque adoro inovação e, principalmente, porque tenho amor por fazer o que eu faço. Uma das coisas que mais acredito é no poder do audiovisual. Estudei muito sobre conteúdo de impacto social e entendo o filme do Lázaro nesse sentido. É entretenimento, tem a jornada do herói e um pouco de cada gênero, como drama e comédia. Ou seja, é feito para o grande público. Ao mesmo tempo, tem uma causa forte. E um objetivo de quebrar muros, isto é, passar a mensagem não só para os ‘catequizados’, mas principalmente para o negacionista, aquele que não sabe ou não acredita na história. Me apaixonei pelo filme e pela equipe envolvida no projeto. O produto é bom, claro, mas tem muito a ver com o trabalho feito. Lázaro não é só um artista, e sim um líder. Ele é capaz de juntar pessoas e tirar o melhor delas de uma forma que eu nunca vi”. Conclui Sabrina.

Sinopse “Medida Provisória”Num futuro distópico, o governo brasileiro decreta uma medida provisória que obriga os cidadãos negros a ‘voltarem’ à África como forma de reparar os tempos de escravidão. O advogado Antônio (Alfred Enoch), sua companheira, a médica Capitú (Taís Araujo), e seu primo, o jornalista André (Seu Jorge) decidem resistir, uns confinados em suas casas, outros no Afrobunker – movimento que vai lutar pelo direito de permanecerem em seu país.

“Medida Provisória” tem produção de Lereby e Lata Filmes e coprodução Globo Filmes e Melanina Acentuada, distribuição da Elo Company e codistribuição da H2O Films.

Compartilhe

Vinícius Gonçalves
Vinícius Gonçalves
Geminiano, viciado em tecnologia, filmes de terror e cinema.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES