fbpx
19.5 C
São Paulo
segunda-feira, 06 dezembro 2021
HomeNotícia'Enquanto os Gigantes Dançam' reúne 24 contos que falam sobre racismo, violência...

‘Enquanto os Gigantes Dançam’ reúne 24 contos que falam sobre racismo, violência e hipocrisia das elites

‘Enquanto os Gigantes Dançam’ traz 24 contos curtos, que flertam com outros gêneros, como a crônica, o ensaio e o perfil. As narrativas ostentam um estilo elegante e elevado, mas aderem ao ponto de vista de personagens marginalizados, que sofrem com o racismo, a violência e a hipocrisia das elites.

Idris Elba assina contrato para escrever livros infantis

Contos apocalípticos antecipam clima de crise humanitária que a pandemia evidenciou e sobrevivem como um retrato crítico da calamidade instalada. Capa, projeto gráfico e ilustrações de Sílvia Nastari. Orelha de Bruno Zeni e texto de quarta capa de Daniela Kopsch.

Um menino negro chora num canto do pátio, um “homem sujo” é atacado por uma horda de gente de bem em um “bairro limpo”, gigantes pisoteiam seres minúsculos enquanto dançam despreocupados, mulheres negras celebram e cuidam, lutam e inspiram. 

A escrita inteligente e cortante de Paulo Vicente Cruz evidencia os temas urgentes de um certo país: racismo, violência, hipocrisia das elites e papéis sociais subestimados. Nos 24 contos breves do autor tudo é narrado em um estilo elevado e elegante: o contraste entre a lapidação da voz narrativa e a contundência dos temas revela um estilo incomum, uma grande novidade na literatura brasileira contemporânea. 

Alguns textos assumem um tom apocalíptico. Escritos antes da eclosão da pandemia global, prenunciam e expandem a situação de desigualdade e calamidade instalada. Enquanto os gigantes dançam é o livro de estreia do jornalista e escritor carioca Paulo Vicente Cruz, atualmente trabalhando na Anistia Internacional. 

Paulo Vicente Cruz nasceu no Rio de Janeiro. Formou-se em Jornalismo na Universidade Federal Fluminense. Desde o início de sua vida profissional, dedicou-se a atividades relacionadas à intersecção entre a comunicação, a educação e o terceiro setor. Alguns de seus contos foram publicados em revistas literárias digitais. Participou da edição de 40 anos da publicação Cadernos Negros. 

Compartilhe

Vinícius Gonçalves
Geminiano, viciado em tecnologia, filmes de terror e cinema.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES