fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 07 dezembro 2021
HomeColunistasDiário de Viagem: nossa bailarina chega ao Rio de Janeiro

Diário de Viagem: nossa bailarina chega ao Rio de Janeiro

TNM 6 - FOTO CHAMADA

Nessa semana no TNM, o “Diário de Viagem” mostra a sexta parada da bailarina que busca danças Afro no Brasil: a chegada ao Rio de Janeiro.

Em 2015, ainda em Porto Alegre, lá no Instituto Sociocultural Afro-Sul Odomode, que falei um pouco aqui, aconteceram as atividades do “Bonde Babalakina”. Um projeto que leva através da dança, da música e da moda afro contemporânea, a inclusão e afirmação da identidade afro para diferentes espaços e públicos.

TNM 6 - FOTO 1
Foto: Alessandro Nascimento

Entre as atividades do Bonde tem uma oficina de dança com a professora e coreógrafa Aline Valentim. Me encantei pela aula.

Ao chegar ao Rio de Janeiro, procurei logo pelos dias de aula e fiz algumas com a Aline. O destaque para mim são o alongamento inicial e o aquecimento. Ela conduz esses momentos com um cuidado especial à anatomia do corpo, fazendo referência ao ballet clássico, ao pilates e a espiritualidade, e faz desse espaço um tempo uma conexão de cada um consigo.

TNM 6 - FOTO 2

Ensina os movimentos de dança enquanto a percussão toca ao vivo. Repetem-se os passos. Entretanto, há a orientação de que cada um execute o movimento de acordo com o que entendeu e da forma como cada corpo se apropriou e o expressou.

TNM 6 - FOTO 3

Trabalha o afro contemporâneo, a partir de passos de dança de orixás e danças regionais, e fez referência ao Yankadi (que mostrei nesse post) e ao Makru*.

As aulas da professora Aline Valentim ocorrem no Centro Cultural da Fundição Progresso, na Lapa/RJ, nas segunda e quartas. Das 19h às 20h30min.

Para mais informações, acesse: http://www.fundicaoprogresso.com.br/curso/oficina-de-danca-afro-com-aline-valentim

* O Yankadi e Makru são dois ritmos do oeste africano. Yankadi, que significa ‘é bom estar aqui’ é uma dança de sedução, enquanto o Makru de celebração.

 

Um pouco sobre o Bonde Babalakina:

Bonde, uma expressão urbana e contemporânea para falar de união e atuação coletiva. E Babalakina, da língua Kimbundo de origem Bantu (tronco linguístico da região dos países africanos Congo – Angola – Moçambique), que significa dançar de braços abertos como pássaro.

Criado para celebrar os 10 anos de Dança Afro Aline Valentim, completados em 2015, o Bonde é uma vivência cultural que faz a união de: oficina de dança, oficina de amarração e bate-papo sobre estética afro urbana, e festa com DJ Bieta e música preta pra dançar.

Um evento que utiliza a dança como expressão para despertar sensibilidade, consciência e integração. Traz ainda um bate-papo sobre estética negra, moda, beleza e autoestima, e estimula o debate sobre a importância e o significado da utilização das amarrações dos panos de cabeça. Depois que se aprende sobre a utilização e se cria turbantes, o Bonde propõe uma festa de celebração. Com um repertório especial, trazem músicas afro-brasileiras, representadas no MPB, afoxé, samba de roda, maracatu e outras mais de tradição regional.

 

As integrantes:

Aline Valentim

Bailarina, professora e coreógrafa, é referência na dança afro-brasileira e nas danças regionais brasileiras como maracatu, coco, ciranda, afoxé, cavalo marinho, jongo e samba reggae. É integrante do grupo Rio Maracatu e diretora da companhia Babalakina de dança afro contemporânea.

Para saber mais sobre o trabalho: https://www.facebook.com/babalakina

Vall Neves 

Criadora do Varal da Vall, uma marca de moda afro urbana, que tem inspiração nos movimentos afro contemporâneos. Há 10 anos traz a afirmação de beleza e identidade negra, através de uma confecção própria de turbantes, acessórios e roupas sem costuras, com amarrações tipo ancestrais.

Para conhecer o Varal da Vall: https://www.facebook.com/VaralDaVal/?fref=ts

DJ Bieta

Porto-alegrense, ligada às artes e manifestações culturais, tornou-se pesquisadora de MPB – Musica Preta Brasileira. Tem se especializado em criar ambientes agradáveis, onde a conversa, a convivência, a troca de ideias e experiências sejam acompanhadas de um som de qualidade. Utiliza ritmos vindos da música negra de raiz, e executa um set conexo e legítimo, que transita entre os continentes africano e americano, passando pelas músicas cubanas e brasileiras.

Conheça o trabalho da DJ Bieta: https://www.facebook.com/Bieta-Style-Music-Prod-133799490052046

 

 

Perfil Camila CamargoCamila Camargo é negra e bailarina, aspirante a produtora cultural e a percussionista. É formada em Publicidade e Propaganda pela ESPM-Sul e especializada em Design Estratégico pela UNISINOS em Porto Alegre. Está sempre buscando as melhores experiências que o mundo pode proporcionar e os aprendizados que elas trazem. Muito ligada à espiritualidade, tem como intenção de vida criar movimentos de conexão.

Compartilhe

- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES