fbpx
19.5 C
São Paulo
terça-feira, 03 outubro 2023
HomeMúsicaD-Rhuam lança “Joga na Minha Cara” com clipe gravado em barbearia na...

D-Rhuam lança “Joga na Minha Cara” com clipe gravado em barbearia na Zona Leste de SP

Pelo selo A Braba Records, o lançamento marca o amadurecimento do artista, que iniciou a sua carreira no funk sendo produzido pelo DJ Wilton, ex-DJ do MC Daleste

Iniciando os trabalhos de 2023, D-Rhuam, jovem artista da Zona Leste de São Paulo, lança o single de trap funk ‘Joga Na Minha Cara’, sob o selo A Braba Records. A faixa, lançada nesta sexta-feira (17), em todas as plataformas digitais, marca um novo momento da carreira do trapper, que iniciou a carreira no funk sendo produzido pelo DJ Wilton, ex-DJ do MC Daleste, e agora se apresenta mais maduro artisticamente. Para registrar este novo momento, D-Rhuam escolheu a barbearia em que trabalha como locação para o videoclipe do single, já que compôs a música no local e as barbearias representam um espaço que tem relação com o funk e o jovem de quebrada. Além disso, D-Rhuam convidou seus amigos mais próximos para estarem ao seu lado.  

O artista, que iniciou a sua carreira no funk agora com este novo single une o gênero ao trap, que tem sido cada vez mais presente na sua vida nos últimos anos, principalmente após ter entrado para o selo A Braba Records, e participado da cypher ‘A Tropa da Braba’, ao lado de nomes como Superboy 777, Puro Osso e Onã. O Trap Funk, como o nome já deixa subentendido, é a junção do Trap, subgênero do Rap, ao Funk, popularmente conhecido no Brasil. Com uma associação inegável por conta do freestyle, das batidas rítmicas e da palavra-falada e rimada, que ambos os gêneros abarcam, hoje em dia é comum ver artistas transitando entre o funk, o trap e o rap de maneira bem fluida, um movimento que teve origem nos anos 2000, com clássicos como o Rap da Felicidade e o Rap do Silva.

“Minha relação com o Funk vem desde sempre, mas se eu for contar, eu comecei a cantar funk em 2019, pouco antes da pandemia. Pra quem não sabe, a minha primeira música gravada foi um Funk com o DJ Wilton, ex-DJ do MC Daleste, e ali se iniciava minha carreira neste mundo e pra quem acha que não faço mais Funk, me aguarde porque ‘Joga Na Minha Cara’ é só o começo. Já a minha relação com o Rap e o Trap é bem forte. Desde pequeno eu e minha família estamos sempre curtindo os sons de Rap antigos. E o Trap é atualmente o estilo de música que eu mais escuto. Eu durmo Trap, acordo Trap e eu vivo Trap”, conta D-Rhuam.

Para valorizar as suas origens e mostrar ao público sua realidade, D-Rhuam também escolheu gravar o videoclipe na barbearia do Tikão, local onde ele trabalha, que inclusive foi onde ele compôs a música. O local é simbólico por representar a identidade do artista, que se preocupa muito com a autoestima e a reforça na letra de ‘Joga Na Minha Cara’, além do fato de ele trabalhar no local, algo que lhe proporciona a autonomia necessária, mesmo sendo muito jovem, para conseguir continuar se dedicando à música. Outro fator interessante na escolha do local é que as barbearias são muito conhecidas como um espaço de reunião de jovens, em que eles exercem o autocuidado, também é um lugar onde eles escutam músicas de diferentes gêneros e trocam ideias sobre referências musicais. 

Outros cenários que compõem a produção são o campinho de futebol e a adega, em que tem seus momentos de lazer, na quebrada do bairro Patriarca, na Zona Leste. A ideia do videoclipe é passar para o público a sua vivência real, como ele gosta de dizer do “real negro”, compartilhar sua história, e o que ele passa realmente na Zona Leste de São Paulo, nestes espaços da quebrada. Porém, mesmo entregando ao seu público algo familiar, como a escolha das locações e as pessoas presentes no clipe, o artista acredita que o público que o acompanha também vai se deparar com o fator surpresa por ele estar trabalhando um estilo diferente na faixa, mas está esperançoso quanto a recepção por parte dos fãs. 

“Eu precisava que as pessoas tivessem uma opinião mais madura sobre mim para a minha própria carreira amadurecer e acredito que com esse lançamento vou conseguir isso. Tenho certeza que o público que já vem me ouvindo, que tem acessado meus sons vai estranhar pelo fato de ser algo diferente, mas também vão se identificar pelas rimas cantadas, sobre a vivência, porque eu fiz um som diferenciado, mas com o meu tempero. E com este single eu pretendo alcançar pessoas que não me conhecem, públicos de outros estados, de outros estilos musicais, trazer essa galera pra perto, porque não basta só a minha quebrada me ouvir, eu quero que o mundo me ouça”, compartilhou o trapper. 

O artista está alinhado ao conceito que o selo A Braba Records vem propondo desde 2022 e que vai continuar em 2023, que é justamente apostar nestes artistas que vêm do funk, que possuem influência e a identidade do gênero, mas que conseguem agregar o beat do trap em suas músicas, como é o caso de grandes nomes da cena, como MC Cabelinho, Vulgo FK e Kyan. “Apesar do mercado ser muito grande no Brasil, há também uma competição muito grande porque tem muitos artistas e os bons profissionais estão trabalhando com os artistas que já estão no mainstream e possuem uma grande demanda. Então, acaba ficando inacessível para artistas iniciantes. Então, A Braba Records está tentando suprir essa carência e oferecer a esses artistas condições de trabalhar profissionalmente mesmo estando num estágio inicial de carreira. Proporcionando desde produção musical, captação até o acesso à assessoria de imprensa e marketing”, finaliza Dachuva, artista, produtor e empresário da A Braba Records.

Assista agora:

Sobre D-Rhuam

D-Rhuam, nascido e criado na Zona Leste de São Paulo, é neto de Valdevino Batista do Santos, dono da escola de samba Imperial e um dos melhores mestres de bateria de São Paulo. D-Rhuam começou sua carreira no funk em 2019 e a partir daí conheceu o trap. No ano seguinte formou o grupo Tropa da Waves, com quem lançou o single “Hoje Não Tô Nem Aí”, com produção musical de Pasz e participação de Matt, Superboy 777 e Mont. Em 2022, D-Rhuam entrou para o selo A Braba Records e já participou da cypher coletiva “Os De Verdade”, pelo projeto Tropa da Braba, dirigido por Dachuva, e agora lança o trap funk ‘Joga Na Minha Cara’

Instagram | YouTube | Spotify

Sobre A Braba Records

A Braba Records é um selo musical idealizado pelo artista e produtor musical Dachuva, com foco nos subgêneros atuais do Rap, como o Trap, o Plug e o Drill. Em abril de 2022, o selo lançou a iniciativa A Tropa da Braba, abrindo portas e proporcionando a estrutura da gravadora para jovens artistas periféricos e estreantes da Zona Leste de São Paulo.

Instagram | YouTube | Spotify

Compartilhe

Cristhiane Faria
Cristhiane Faria
Cristhiane Faria aka Nega Cléo é poeta, slammer, modelo, dançarina, arte-educadora e Fundadora da GRIOT Assessoria, agência de Relações Públicas com a missão de perpetuar as histórias de artistas, eventos, projetos culturais e criadores de conteúdo pela mídia e na internet. | Contato: [email protected]
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES