fbpx
19.5 C
São Paulo
sábado, 04 dezembro 2021
HomeCelebridadesConheça Sha Sha, ganhadora do prêmio de artista revelação no BET Awards

Conheça Sha Sha, ganhadora do prêmio de artista revelação no BET Awards

Sha Sha vem trabalhando para estar no centro do palco a maior parte de sua carreira.

Frankie Crocker disse para Diana Ross que “I’m Coming Out” destruiria sua carreira

De seu apartamento em Joanesburgo, Sha Sha fala sobre sua descendência sul-africana por parte da mãe e zimbabuense por parte do pai e sobre como a separação deles durante a sua infância moldaram sua educação itinerante, já que o fato fez com que ela se mudasse diversas vezes e a ajudou a se adaptar rapidamente a novos ambientes.

Sobre esse período, ela diz: “Chegou um momento em que eu fiquei com a minha mãe, na África do Sul, quando era mais nova. Aí voltei em fiquei com o meu pai, durante o ensino fundamental, em Bulawayo, no Zimbábue. Da casa do meu pai, minha mãe veio e me levou de volta para a África do Sul para fazer o ensino médio. Eu estudei em nove escolas diferentes, cinco no ensino fundamental e quatro no ensino médio. Dali, me lembro de ter me ficado com a minha tia em Mutare por um tempo, que foi quando eu decidi arrumar alguma coisa para fazer. Na verdade, era para eu fazer enfermagem.”

No entanto, a música, em especial os corais, sempre tiveram um papel importante em sua vida. Sha Sha esteve em corais desde os 12 anos, onde cantava soprano e muitas vezes tinha o lugar de destaque nas músicas, o que a fez perceber logo cedo que era uma cantora talentosa. Ela diz que sempre soube que sabia cantar, mas não levava a sério, não se achava boa o suficiente. Somente quando suas gravações caseiras chegaram à ZiFM, a rádio mais famosa do Zimbábue, através de um amigo, é que ela decidiu dar lugar à sua carreira. Ela diz se lembrar bem desse dia: “Eu estava a caminho de uma entrevista para ser recepcionista e ouvi minha música. Eu pirei. Isso foi em 2014.”

A cantora, que lançou um EP recentemente e recebeu o Prêmio Melhor Artista Internacional pela BET, tem letras em inglês e Shona, uma língua Bantu, e fala sobre sua relação com outras línguas: “Minha mãe sempre quis que eu falasse inglês, mas, enquanto eu me mudava, aprendi a falar Ndebele e depois Shona. Ficando com a minha mãe em Vaal, acabei aprendendo seSotho. Se você entende Ndebele, é similar ao Zulu, se entende seSotho, é parecido com Setswana. Comecei a aprender diversas línguas assim. E coloco tudo na minha música, mostrando que sou diversa.”

Ela também fala sobre como o contexto em que estava inserida fez dela uma pessoa mais compreensiva: “[Isso também me] ajudou a entender as pessoas, entender suas perspectivas e pontos de vista, estar sempre aberta para o que as pessoas estão dizendo, pensando, sentindo. Me ajudou muito como pessoa.”

Assim, Sha Sha se descobriu uma voz potente, tanto para o mercado zimbabuense quanto para o mercado sul-africano. Depois de estourar na ZiFM, a artista se encontrou com o CEO da rádio, que a direcionou ao produtor e compositor Audius Mtawarira, que é bastante respeitado no Zimbábue e com quem Sha Sha começou a trabalhar. Audius também tinha um programa na África do Sul, do qual a cantora passou a fazer parte. Ela diz que estava se sentindo muito tímida ao iniciar sua carreira na África do Sul, mas depois de contatos com diversos produtores americanos e sul-africanos, ela teve uma apresentação solo no Haifa Festival e as coisas começaram a dar certo.

Em uma de suas idas para a África do Sul, seu voo se atrasou muito e, através de uma amizade em comum, ela acabou conhecendo Blessing, que era taxista e mudaria sua vida completamente. Ela diz: “No meio de todos esses acontecimentos, aconteceu de o taxista, Blessing, que também era local e falava Shona, conhecer o DJ Maphorisa. O Blessing começou a me levar a todas as minhas gravações. Sabe quando você encontra alguém pela primeira vez e ainda está gravitando em direção a eles e aí acaba se sentindo cada vez mais confortável com essa pessoa? Em algum momento, Blessing me perguntou o que eu fazia e eu disse que era artista. Aí ele ficou tipo ‘eu conheço um cara’. Conheci Maphorisa em 2017, cantei uma das minhas músicas com ele. Estamos trabalhando juntos desde então. Dali em diante, tudo começou a mudar.”

Sha Sha diz que começou a ficar sobrecarregada, embora estivesse animada com todas as mudanças: “Comecei a pensar sobre a minha familia, sobre como também precisava encontrar tempo para eles porque as coisas estavam muito agitadas.” Ela continua dizendo: “Tive que me aprofundar em quem eu sou, de onde venho para manter os pés no chão.”

Ela conclui dizendo ser grata por todas as conquistas e diz que, no início da pandemia, achou a situação de todo ruim, mas que depois acabou usando seu tempo para trabalhar em seu novo álbum, que será lançado em breve. Sha Sha diz que gosta de surpreender, mas podemos esperar por diversidade.

Via: OkayAfrica

Compartilhe

Vinícius Gonçalves
Geminiano, viciado em tecnologia, filmes de terror e cinema.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES