fbpx
19.5 C
São Paulo
sexta-feira, 03 dezembro 2021
HomeNotíciaConheça Pedro Ottoni, a mente por trás do ATORmentado

Conheça Pedro Ottoni, a mente por trás do ATORmentado

Atualmente o Pedro Ottoni é um sucesso na internet. Criador do ATORmentado, um canal onde compartilha vídeos bem humorados sobre momentos e situações do cotidiano, ele já conta com mais de 600 mil inscritos no YouTube, 756 mil curtidas no Facebook e 636 mil seguidores no Instagram.

Dos pátios ao palco: conheça a história da banda Graveto

Pedro Ottoni entrou para o teatro aos 16 anos e iniciou sua carreira profissional aos 17 anos, contou um pouco sobre sua história para a gente nesta entrevista.

Conta pra gente como foi que você descobriu que queria ser ator.

A real é que eu nem sabia o que era ser ator. Na favela isso não é uma profissão por não ser real para os moradores da mesma. Então quando questionei a minha vó um dia, ao ver o Tom Cavalcante na tv, qual era o trabalho dele ela me respondeu com “palhaço” ele faz palhaçada ela disse. De um jeito “delicado” que só a dona Geny (minha vó) tem, só lembro dela ficando sem palavras quando eu respondi “bom, então acho que quero ser palhaço”. Eu tinha no máximo 7 anos. Mas eu realmente entendi é aceitei que queria ser ator aos 16. Até então neguei essa vontade por que não querer decepcionar minha família com uma profissão que não daria futuro.

Você sempre quis fazer humor ou foi algo que você descobriu enquanto estudava?

Eu não sabia o que eu fazia. Só fazia. Desde pequeno adorava programas de humor como zorra total e show do tom. Eu gostava de imitar as pessoas ao meu redor, professores, familiares. Eu gostava de fazer as pessoas rirem. Só não sabia que aquilo era humor.

Quais são as pessoas que te inspiram?

As mulheres da minha família. Minha vó criou sozinha 4 mulheres. Não tinha homens na casa em uma época em que o machismo era ainda maior do que hoje. Minha vó não abaixava a cabeça pra homem nenhum e consequentemente passou isso pra minha mãe e minhas tias. Eu estou falando de mulheres negras e periféricas que conseguiram construir e educar 3 gerações com o esforço e o trabalho delas, sem depender de ninguém.

Como tem sido lidar com o sucesso na internet?

Tudo tem seu lado bom e ruim. Eu nunca tive a pretenção de ser reconhecido por ser uma figura da internet. Quando criei o meu canal foi com o intuito de vitrine. Achei que alguém iria ver o meu talento e me chamariam pra trabalhos de ator. E foi o que aconteceu. Por isso sou muito grato pelos fãs que tenho. Com a pandemia tive novamente que me reinventar e usar a internet como ferramenta para não ser esquecido. Para a minha surpresa junto com a criação de conteúdo veio o reconhecimento de pessoas como Fábio Porchat, João Vicente, Jessica Ellen, e muitos outros artistas que cresci admirando.

Qual foi o momento que você pensou “caramba, realmente eu tô famoso e fazendo o que eu sempre quis fazer”?

Esse momento ainda não chegou, sendo bem sincero não me sinto famoso e ainda não estou fazendo o que sempre quis fazer. Acho que isso vai acontecer se um dia eu puder viver apenas como ator. Sem depender de vídeos na internet ou publis. Volto a dizer, sou grato a tudo que a internet me proporcionou e proporciona, mas meu sonho é conquistar o cinema, a TV e os servições de streaming.

Como você imagina o Pedro Ottoni daqui a 5 ou 10 anos?

Eu sempre fui muito pessimista então não gosto de esperar muito do futuro pra não me decepcionar. Mas trabalho pra que sempre esteja melhor do que antes. Não aceito retroceder depois de tudo que conquistei. Então espero estar melhor do que agora, em todos os sentidos.

Compartilhe

Vinícius Gonçalves
Geminiano, viciado em tecnologia, filmes de terror e cinema.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES