fbpx
19.5 C
São Paulo
sábado, 27 novembro 2021
HomeNotíciaColin Kaepernick: "1.363 dias de emprego negado"

Colin Kaepernick: “1.363 dias de emprego negado”

Conheça a história de Colin Kaepernick, que foi de um excepcional jogador de basquete, baseball e futebol americano com as maiores notas na escola e na faculdade ao desemprego.

Colink Kaepernick é quarterback de futebol americano pela NFL, mas é mais conhecido por seu trabalho como ativista. Tão conhecido que, agora, a pesquisa de seu nome no Google americano indica que ele é um ativista americano e não um jogador. Mas será que era isso o que ele queria? É justo?

Netflix anuncia nova série de Ava DuVernay sobre o jogador e ativista Colin Kaepernick

Quem é Colin Kaepernick na fila do pão?

Colin Kapernick nasceu em 3 de novembro de 1987. Desde a infância, sempre foi apaixonado por esportes. Jogava futebol americano, basquete e baseball, mas futebol americano realmente era sua paixão. Ele jogava desde os oito anos de idade e, aos nove, se juntou a um time local como quarterback. Com a maior pontuação escolar que um aluno americano pode ter em seu GPA (4.0), Kaepernick continuou jogando os três esportes e levou o time de sua escola ao seu primeiro playoff no futebol americano.

Kaepernick era tão bom nos três esportes que, no basquete, marcou 34 pontos em uma única partida. No baseball, recebeu uma bolsa de estudos. Mas, como o que realmente queria era jogar futebol americano, ele aceitou a bolsa de estudos da Universidade de Nevada, que foi a única a oferecer uma bolsa neste esporte.

Sua carreira universitária começou em 2007 e Kaepernick continuou fazendo história. Paralelamente, continuou jogando baseball e recebeu uma proposta para defender o Chicago Cubs. Mas, mais uma vez, optou por continuar sua carreira no futebol americano. Nele, Kaepernick se tornou o primeiro quarterback da subdivisão a superar 10 mil jardas e a correr mais de 4 mil jardas durante a carreira universitária.

Ah, e lembra daquela pontuação perfeita sem defeitos de 4.0 no GPA? No meio de tudo isso, ele conseguiu mantê-la e, em 2011, se formou em administração.

Colin Kaepernick na NFL

No mesmo ano em que terminou a graduação, Colin Kaepernick foi selecionado para a NFL pelo San Francisco 49ers. Ele permaneceu no time, garantindo uma vaga nos playoffs por quatro anos seguidos.

Em 2014, Kaepernick assinou um contrato de extensão com os 49ers no valor de 126 milhões de dólares. É verdade que ele também recebeu umas multas porque usou um linguajar inapropriado em campo e porque usou fones de ouvido de uma marca concorrente à marca que patrocinava a liga, mas assim, 126 milhões, né…

Em 2015, Kaepernick perdeu o final da temporada porque estava machucado e teve que passar por três cirurgias antes de seu retorno, no ano seguinte.

2016: de jogador à ativista

Aparentemente, não há lugar para ser jogador e ativista na NFL. Em 2016, Kaepernick se manifestou contra a violência policial destinada a jovens negros nos Estados Unidos. Ele se sentou e depois se ajoelhou durante o hino nacional antes da realização das partidas. Algumas pessoas ficaram divididas em relação ao seu posicionamento. Algumas alegavam que sua atitude era inconstitucional (mas a polícia sair atirando em jovens negros por aí tudo bem, né?). Muitos outros o apoiaram. O fato é que, no final daquele ano, o 49ers avisou que pretendia demiti-lo e, desde 2017, Kaepernick passou de quarterback à ativista em tempo integral.

Ele inclusive processou a NFL, por alegar que a liga estava impedindo sua contratação por questões políticas. Mas aparentemente houve um acordo sigiloso entre as partes e Kaepernick acabou retirando as acusações.

Atuais ocupações

Recentemente, Kaepernick fez um post em seu perfil no Instagram dizendo: “1.363 dias de emprego negado. Ainda assim me empenhando e trabalhando duro 5 vezes por semana.”

Ava DuVernay Teams Up With Colin Kaepernick For A New Netflix Series
Ava DuVernay vai lançar documentário sobre a vida de Colin Kaepernick. (Foto: Reprodução)

Em paralelo, Kaepernick também fundou um movimento para abolir o policiamento e as prisões. A cineasta premiada Ava Duvernay, que também fez Olhos que Condenam e o documentário A 13ª Emenda, está produzindo um documentário sobre sua vida.

Compartilhe

Thais Senahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES