fbpx
19.5 C
São Paulo
sexta-feira, 03 dezembro 2021
HomeNotíciaChica Xavier e Clementino Kelé

Chica Xavier e Clementino Kelé

Segundo Luana Xavier, Kelé sempre dizia "não existe Kelé sem Chica".

A partir de hoje, toda semana teremos um especial de casais negros bem sucedidos, nacionais e internacionais. Mas esse anúncio gera uma certa polêmica, né? Afinal, o que é um casal bem sucedido? Como professora, essa é uma discussão que eu sempre proponho durante as aulas já que o que é sucesso pra mim não é sucesso pra você. Mas aqui vou partir do parâmetro de um relacionamento duradouro, que parece haver amor, admiração, respeito, lembranças felizes e também momentos divertidos compartilhados com os fãs pelas redes sociais.

Esse especial começa com um casal brasileiro e, em seguida, com um casal americano. Só de ouvir esses títulos você provavelmente tem os seus casais de referência e é possível que não sejam os que serão apresentados aqui. Mas a ideia é que haja colaboração mesmo. Então, se você quiser conhecer um pouco mais sobre a história de algum casal, conta aqui pra gente saber.

Bem, sem mais delongas, vamos aos casais da semana!

Chica Xavier e Clementino Kelé

A verdade é que esse especial não poderia começar com outro casal que não fosse Chica Xavier e Clementino Kelé. Eu sou suspeita pra falar porque sou muito fã de um dos frutos deste amor tão lindo: a neta do casal, a atriz, apresentadora e roteirista Luana Xavier, e acompanho tudo que ela compartilha sobre a história de amor dos dois. Chica Xavier é uma referência na televisão brasileira e ficou muito conhecida por seus papéis na TV Globo, mas atuou durante muitos anos no teatro nacional. Infelizmente, Chica nos deixou este ano, aos 88 anos, mas seu legado será eterno. Já Clementino Kelé, com 92, continua exuberante, por enquanto no conforto de sua casa, em decorrência da pandemia, mas também foi peça chave para a construção da representatividade na TV e no cinema brasileiros.

Morre a atriz Chica Xavier

Luana Xavier lamenta perda da avó, a atriz Chica Xavier, e fala de  saudades: 'Tá doendo muito' | Famosos | Gshow
Luana Xavier e sua avó, Chica Xavier. (Foto: Reprodução)

No Instagram, Luana conta que seu avô somou 72 anos ao lado de sua esposa. Ela conta um pouco sobre a história do casal:

“O maior exemplo de que amor preto cura é esse casal da foto. Vó Chica e Vo Kelé completam hoje 64 anos de casados. Ele agora tem 92 e ela 88. Se conhecem desde a adolescência em Salvador. Ela se mudou pro Rio de Janeiro porque queria conhecer o pai e estudar teatro. Ele veio atrás porque sabia que era ela o grande amor de sua vida. Casaram-se no mesmo ano em que estrearam no teatro com Orfeu da Conceição (1956). Formaram família, viajaram bastante, viram os três filhos fazerem faculdade, são fãs confessos dos três netos e agora colhem os louros dessa vida a dois que rendeu lindos frutos pessoais e profissionais.”

O legado da família Xavier

Essa linda história de amor rendeu três frutos: Clementino Filho, Izabela e Christina. Pelas redes sociais, sempre vejo o lar amoroso e unido que Chica e Kelé formaram. Ao menos dois de seus netos foram inspirados não só por seu amor, mas também por sua atuação e ativismo. Luana e seu irmão, Ernesto Xavier, estão envolvidos com a área de atuação de Chica e Kelé.

Ernesto é jornalista, escritor, ator, mestre em Antropologia, editor da revista GQ Brasil e criador da página Senti Na Pele. Luana já teve diversas atuações na TV, no cinema e no teatro. Recentemente, foi a apresentadora do programa “Viagem a qualquer custo”, ao lado de Fernanda Paes Leme, no GNT, e seu próximo trabalho será na quinta temporada da série Sessão de Terapia, dirigida por Selton Mello. Luana e sua família mantêm o legado de Chica vivo seja pela arte, pelos ensinamentos do candomblé ou pelo cuidado com os mais velhos que permanecem em sua casa, Kelé e Tia Neném. Viva a família preta!

Acompanhe o próximo post para conhecer o próximo casal deste especial.

Compartilhe

Thais Senahttp://www.todosnegrosdomundo.com.br
Sou professora de inglês, formada em Comércio Exterior, estudante de Pedagogia na Universidade Federal de São Paulo e parte do grupo de Pesquisa Laroyê - Culturas Infantis e Pedagogias Descolonizadoras. Já atuei como professora voluntária e em projetos populares, fez formação em parceria com a Prefeitura de São Paulo e o Conselho Britânico e há 6 anos atua também na Ebony English, que ensina inglês com cultura negra.
- Advertisment -
- Advertisment -

MAIS LIDAS

COMENTÁRIOS RECENTES