Não Me Representa

Advogada denuncia racismo institucional

No dia 29 de novembro, o Centro de Referência e Promoção da Igualdade Racial da Zona Norte, em São Paulo, promoveu uma ação em alusão ao feriado de Consciência Negra.

Sendo assim, ficou decidido que as funcionárias do Centro de Referência seriam responsáveis pela condução de uma roda de conversa no evento.

No entanto, conforme conta a advogada que entrou em contato com o TNM, a presidente da ONG Braços Fortes, que administra, dentre outros espaços, o Centro de Referência e Promoção da Igualdade Racial na Zona Norte, participou do evento, dizendo concordar com um dia da consciência humana e não da consciência negra.

Inconformadas com a declaração, as funcionárias responsáveis pela roda se manifestaram após ouvirem esta frase absurda que assola todo 20 de novembro. E, em reação a isso, a presidente da ONG, Rosângela Crepaldi, saiu da roda.

Não contente, as duas funcionárias que conduziam o evento foram demitidas, conforme conta a advogada Karina, sem quaisquer justificativas.

O caso foi repassado à Secretaria responsável pelo órgão. Mas não é a primeira nem a última vez que espaços como estes se utilizam de medidas racistas na tentativa de pregar igualdade. Até quando teremos quem não nos contempla à frente desses órgãos? E quais medidas serão tomadas sobre casos como este?

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Amanda Sthephanie
Load More In Não Me Representa

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Cacau Protásio é vítima de racismo e gordofobia

Durante a gravação de uma cena do filme ...

Facebook

Newsletter