Artes Visuais

Versão negra de personagens de Final Fantasy

Você gosta de quadrinhos, séries, novelas? Seja lá o que você goste de assistir ou ler, você já parou pra pensar no quanto você se parece com os personagens? A identificação com personagens de ficção não acontece somente com crianças: jovens e adultos também se envolvem com histórias e acompanham ao longo de um tempo. O mesmo pode acontecer com jogos de videogame que são compostos por personagens, como RPG. Algumas pessoas podem se identificar pela história de vida do personagem, pela sua personalidade, por suas vestimentas, ou ainda, por sua aparência física.

Mas será que as pessoas negras conseguem se ver representadas nas histórias que acompanham? Já falamos aqui sobre o personagem Raio Negro, conquistando uma série da DC agora. Mas, de quantos personagens negros estamos falando? E quantos brancos?

Não é à toa que Nikolas A. Draper-Ivey tem preferência em desenhar personagens negros. Ele, e todos os negros, não se sentem representados pelo que veem por aí. Em suas redes sociais o jovem adulto divulga seu trabalho como criador, designer, artista e anti-heroi (às vezes) – como gosta de ser conhecido. No início de abril, começou a divulgar nas redes suas versões de personagens do jogo Final Fantasy XVII. Segundo o artista, resolveu criar esta versão ao ser indagado sobre o motivo de criar majoritariamente personagens negros. “Oh, então este é o PROBLEMA agora?” expressou Nikolas. Sua resposta às indagações foi a de desenhar ainda mais personagens negros e até mesmo, fazer uma releitura dos já criados.

Neste trabalho, Nikolas transforma os personagens brancos em negros, e o único personagem negro em branco. Confira esta arte maravilhosa:

Reprodução: Facebook

Reprodução/ Facebook

Reprodução: Facebook

Reprodução/ Facebook

Reprodução: Facebook

Reprodução/ Facebook

Reprodução: Facebook

Reprodução/ Facebook

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Luiza Peres
Load More In Artes Visuais

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Conheça a arte de Zahira Kelly

“Se eu não existir em sua consciência histórica ...