Notícia

Pai racista corta relações com filha por ter um amigo negro

Anna Hayes mora numa cidade pequena no sul dos Estados Unidos chamada Lake Village, estado de Arkansas. Há algumas semana aconteceu o momento mais esperado pela maioria dos estudantes do ensino médio, sua formatura. Nos Estados Unidos, como você já deve ter visto nos filmes, há uma cultura muito forte sobre o par que se escolhe para os bailes. Pensando no baile mais importante da sua vida escolar, Anna convidou alguém tão importante quanto. O seu grande amigo Phillip Freeman, com quem esperava se divertir e curtir o grande momento.

O que ela não esperava era a reação descabida de seu pai. Na manhã seguinte à formatura Anna Hayes resolveu ler as mensagens em seu celular e se deparou com o ódio de seu pai por ter ido à formatura com um rapaz negro.

Foto: Reprodução/TwitterAnna

Foto: Reprodução/TwitterAnna

Tradução: “- Chega. Eu não irei na sua colação de grau nem pagarei pela sua faculdade. Vá viver com os pretos.
– Eu fui para o baile de formatura com um cara negro e isso é um problema. você é muito racista.
– Sim eu sou e você está morta para mim.
– K
– Nunca mais entre em contato comigo. Vá em frente, seja uma p** de merda e me deixe fora disso. Vou cancelar seu plano de celular na segunda. você não pode fazer isso, chega.
– Eu não fiz nada de errado.”

 

Foto: Reprodução/TwitterAnna

Foto: Reprodução/TwitterAnna

Tradução: “- Cale a boca, você não tem mais o direito de falar comigo. Vá viver com pretos de merda. Já tirei suas fotos da parede. Vá para o inferno. Que merda que há de errado com você? Vou cancelar seu telefone e seu plano de saúde. Chega. Se você quer se misturar com sub-humanos vou te tratar de acordo.”

Passado o choque, Anna resolveu compartilhar as mensagens em suas redes sociais como forma de denúncia contra seu próprio pai. Ela também escreve em suas redes e responde a quem lhe entrevista que não concorda com NENHUMA fala de seu pai. Quando seus pais se divorciaram e Anna era criança, morou um tempo com ele e ele já falava mal de pessoas negras na sua frente, mas ela não entendia porque isso acontecia. Voltou a morar com a sua mãe pouco tempo depois e desde então, tem um relacionamento muito conturbado com seu pai.

A jovem conta que fica triste por existir esse tipo de pessoa tão racista e por essa pessoa ser seu pai. Em entrevista ao BuzzFeed diz: “Não consigo acreditar como alguém pode odiar tanto outra pessoa que nem conhece, só por causa da cor da pele”. Também relata se entristecer por algumas pessoas suporem que por ser filha, ela também é racista.

Então ela finaliza com um conselho na tentativa de ajudar quem sofre com o ódio racial: “O racismo precisa acabar. Podemos ser essa mudança e, se você tem um parente ou alguém que te renega por causa das pessoas que você ama ou das pessoas com quem você anda, esqueça-o, as pessoas vão te ajudar a passar por isso.”

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Luiza Peres
Load More In Notícia

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Documentário sobre genocídio da população negra é exibido no Festival de Gramado – TNM

Documentário sobre genocídio da população negra é exibido ...