Notícia

Miss Universo: Jamaicana Davina Bennet fica com terceiro lugar

Como em todos os anos, aconteceu neste domingo a 66ª edição do concurso Miss Universo em Las Vegas. Em uma noite de muito glamour, o evento contou com a apresentação de mais de 80 mulheres representando seus países, passando por diversas provas eliminatórias. As participantes são avaliadas pelo porte, elegância, segurança, engajamento e inteligência. Mas, apesar da inegável beleza de todas as participantes, nós aqui do TNM somos como o Julius, pai do Chris, torcemos por negros até em disputa de palitinho e 2×1. Nossa atenção foi chamada para a beleza naturalmente negra da jamaicana Davina Bennet de 21 anos, uma das mais novas da competição.  Ela até pode não ter sido campeã – ficou em terceiro lugar -, mas Davina Bennet era, sem dúvidas, a mais deslumbrante entre as 80. Davina se saiu muito bem nas perguntas finais sobre ataques e abusos sexuais, e chegou a ficar entre as três que passaram para a etapa final do concurso. Ela, que trabalha com deficientes auditivos de seu país, disse que, caso vencesse o concurso, usaria sua plataforma enquanto miss para levar ao mundo a conscientização para questões de inclusão de deficientes auditivos. Misses tem como elemento de avaliação o seu comprometimento e envolvimento com causas sociais.

24067883_1208377192596737_4720861991835279870_n-2

Desde o inicio do concurso foi possível perceber a força das candidatas da Colômbia, África do Sul, Estados Unidos e Venezuela, mas na reta final Davina começou também a chamar atenção de todos. A brasileira Monalysa Alcântara chegou a ficar entre as dez finalistas mas, como a americana, não foi adiante. Quando ficou entre as três finalistas, a jamaicana claramente passou a ser preferida e se saiu muito bem nas apresentações finais. No traje de gala, o último da competição e de escolha da participante,  a jamaicana estava deslumbrante quando surgiu com um vestido amarelo, cravejado de pedras, que foi muito criticado pelos “especialistas” na transmissão pela TV, mas que combinou demais com seu corpo e o tom acentuado de sua pele.

Davina é a quarta mulher da Jamaica a concorrer ao Miss Universo. Sanneta Myrie concorreu em 2015 e foi a primeira mulher a competir usando dreadlocks, conquistando o 5 lugar. Davina exibiu um black-power exuberante e, apesar da beleza natural e deslumbrante da jamaicana, infelizmente a coroa ficou com a Sul Africana – branca – Demi-Leigh Nel-Peters, sob vaias da plateia. Davina pode ter ficado com o “posto” de terceira mulher mais bonita do mundo, mas a partir de agora estará sempre em primeiro lugar em nossos corações.

Veja outras essa galeria de fotos da musa!

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By TNM
Load More In Notícia

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Boogie Naipe lança programa na Rádio Brasil Atual

Expandindo seus trabalhos desde 2012, a produtora Boogie ...