Notícia

Menina que queria uma boneca negra pinta Barbie com tinta preta

Há pouco menos de um mês, uma experiência vivida por uma menina de 2 anos viralizou nas redes sociais. Sophia Benner, acompanhada dos pais, Brandi e Nick Benner, teria visitado uma loja de brinquedos para escolher uma boneca em resposta ao abandono das fraldas. Durante a decisão, no entanto, a menina branca optou por comprar uma boneca de cor diferente da sua e, quando questionada pela vendedora afirmando que o brinquedo não se parecia com ela e perguntando se a ideia era presentear alguém, Sophia respondeu “Sim, ela se parece comigo. Ela é uma médica, como eu sou uma médica. Eu sou uma menina bonita, e ela é uma menina bonita. Você vê o cabelo bonito dela? E o estetoscópio dela?”.

Felizmente, esse não é o único caso de uma criança branca que busca, na boneca negra, a companheira para as aventuras da infância. Dessa vez, a australiana Chloe, de apenas 4 anos, é a protagonista branca de uma história com final feliz. Em geral, existe um questionamento sobre a presença de bonecas negras na indústria dos brinquedos e como elas significam representatividade às crianças negras que conseguem se enxergar nos espaços. No entanto, crianças brancas também precisam reconhecer a presença de negros e, de forma lúdica em idade formativa, as bonecas têm grande influência sobre a construção da identidade.

Foto: Reprodução

“Eu só queria uma boneca de pele preta”. Foto: Reprodução/Snapchat

Compartilhada no Snapchat de sua mãe, Rebekah-J Lorkvic, a atitude de Chloe é digna de reflexão: a menina pintou uma Barbie com tinta preta para que ela representasse uma boneca com a pele negra. Questionada pelos pais sobre a ação, a filha explicou que sonhava ter uma boneca negra e, portanto, transformou a sua. Que mais crianças, assim como Chloe e Sophia, aprendam desde pequenas que a igualdade racial é responsabilidade de todos, brancos e brancas, negros e negras. Acalenta o coração ver o futuro da humanidade se preocupando com a cor da pele de suas bonecas porque, amanhã, essas mesmas pessoas refletirão sobre a presença de negros nos espaços de poder e, no que depender delas, as portas serão abertas.

 

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Amanda Sthephanie
Load More In Notícia

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Grande evento na Rússia é marcado por ato racista

Dia 17 de junho começará a Copa das ...