Colunistas, Eventos, Me Representa

Grupo Pretagô apresenta espetáculo AfroMe nesta quinta e sexta-feira

Porto Alegre (RS) – O grupo de artistas Pretagô apresenta nesta quinta e sexta-feira, 15 e 16 de setembro, às 20 horas o espetáculo AfroMe. As duas apresentações integram a programação da 23ª edição do festival Porto Alegre em Cena e concorrem ao Prêmio Braskem Em Cena 2016.

AfroMe é o segundo espetáculo do grupo Pretagô, que pesquisa identidade e representatividade negra nas artes. Os artistas, que se utilizam da teatralidade como dispositivo para a celebração, trazem cenas realistas misturadas a momentos de performances dos atores e músicos, que borram as fronteiras de suas funções em busca de versatilidade. Arte, literatura, antropologia, filosofia, história e geografia atravessam o bar onde acontece a encenação. Esse espaço-tempo marginal se torna casa, cidade, país, continente e cenário.

aafrome

As apresentações ocorrem no Boteco do Paulista – Rua Riachuelo, 230, em Porto Alegre (RS). Evento gratuito.

No local serão disponibilizadas urnas para votação do Prêmio Braskem em Cena: “AfroMe” (RS) | 23º Porto Alegre em Cena.

Serviço:

Espetáculo AfroMe

Dias: 15 e 16 de setembro, às 20 horas

Local: Boteco do Paulista – Rua Riachuelo, 230 – Porto Alegre (RS)

Página: https://www.facebook.com/grupopretago

 

Sobre o AfroMe:

Torne-me AFRO.

Afromize-me.

Deixe-me ser AFRO.

Preencha-me.

Inunde-me.

AfroMe é um Manifesto. Sarau Marginal ou Cabaré de Magia Negra que conta com sons e imagens inspiradas em universos afros festivos para dar passagem a um mar de memórias, desejos, divagações, indignações e afetos. É a ponte entre um “Brasil-África” conectado por pequenas ficções em um lugar real: o bar, espaço onde as fantasias potencializam-se. Um evento espetacular permeado por palavra, música, corpo e presença.

Os trabalhos iniciam-se ao saudar Exu Bará.

A ele, o mensageiro, aquele que detém o poder de abrir e fechar os caminhos, é pedido licença. A partir disso é estabelecido o contato entre o humano e o onírico, e os Orixás, energias presentes nos lugares onde escolhemos fecundar-habitar, que são invisíveis aos olhos, mas palpáveis aos sentidos. É ofertada a cachaça, elemento pertencente ao imaginário-real dos bares. Compartilha-se as ervas e acendem-se as velas em um pedido singelo e esperançoso de que ele abra todas as portas e, por ser também o grande sentinela (na tradição, o Bará é assentado na frente do lugar dedicado ao acontecimento do ritual), pede-se a ele a proteção e a guarda desse evento de (re)conexão com as origens africanas.

Ficha técnica:

ELENCO
Bruno Cardoso, Bruno Fernandes, Camila Falcão, Kyky Rodrigues, Laura Lima, Manuela Miranda e Silvana Rodrigues

DIREÇÃO
Thiago Pirajira

TRILHA SONORA
João Pedro Cé, Duda Cunha e Vini Silva

FIGURINO
Mari Falcão

FOTOGRAFIA
Andre Reali Olmos

PRODUÇÃO
Bruno Fernandes, Camila Falcão, Mari Falcão, Silvana Rodrigues e Thiago Pirajira

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO
Anelise De Carli

 

Perfil Camila CamargoCamila Camargo é negra e bailarina, aspirante a produtora cultural e a percussionista. É formada em Publicidade e Propaganda pela ESPM-Sul e especializada em Design Estratégico pela UNISINOS em Porto Alegre. Está sempre buscando as melhores experiências que o mundo pode proporcionar e os aprendizados que elas trazem. Muito ligada à espiritualidade, tem como intenção de vida criar movimentos de conexão.

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Camila Camargo
Load More In Colunistas

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Capão Redondo recebe Girl’s Talk para marcar Dia Internacional da Menina

  Por Semayat Oliveira Com o objetivo de ...

Facebook

Newsletter