Divulgação

Direito de Rimar: clipe homenageia poetas e MCs

Numa época onde a censura dita o tom das artes, o movimento de poesia cresce principalmente nos espaços marginalizados. É pra homenagear essa manifestação cultural que o rapper e educador carioca Allan de Souza, o Pevírguladez, lançou no último dia 16 de novembro (quinta-feira) um clipe em honra àqueles que levam a rima como profissão.

Direito de Rimar é parte do disco Manual Prático de Malandragem – volume 2, que vem sendo produzido há quatro anos. Com participação de poetas da cena dos slams, campeonatos de poesia declamada, como Mel Duarte que abre a produção explicando a importância da poesia na sua vida, o rapper aposta na força da expressão deste trabalho.

“O direito de rimar é algo nobre, uma dádiva de quem foge do lugar comum para habitar no universo das palavras, levando sabedoria e vivências às pessoas. O direito é do poeta, do cantor, do slammer, do artista de rua, do compositor, enfim, o direito de rimar é do povo”, comentou Pevírguladez, que tem mais de 15 anos de carreira. O novo álbum do artista, com lançamento previsto para o primeiro semestre de 2018, conta com participações de Carlos Dafé, Aleh Ferreira, Raphão Alafim, Dj Nato PK, Xará e Lu Fogaça.

No clipe recém-lançado, Pevírguladez canta para o que chama de “griôs das ruas”, aqueles que alçam voz e declamam suas poesias. Além disso, a cancão mescla rap com samba ao trazer um refrão adaptado de “É proibido sonhar”, de Batatinha. Confira:

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Amanda Sthephanie
Load More In Divulgação

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Novo videoclipe de Stillo Radical retrata séculos de luta e resistência negra

Com colagens que refletem o histórico de rebeldia ...