Colunistas, Dança

Diário de Viagem: em Brasília, Camila Camargo faz a décima parada dançando afro

Quando comecei a pensar em um roteiro para conhecer quem faz e como faz dança afro no Brasil, confesso que não pensei em Brasília. Aliás, normalmente não fazia nenhuma referência à cidade além das questões do fazer político. Bem, para os desavisados de plantão (me incluo nessa), a cidade de Brasília tem um cenário cultural diverso e incrível! Uma real fusão de Brasis.

E por isso, fui conferir.

No meio da busca pela dança, conheci Nãnan Matos. Cantora, percussionista e bailarina nascida em Brasília. Nãnan faz um trabalho de pesquisa e resgate da cultura de matriz africana e se dedica ao fortalecimento do fluxo cultural África-Brasil, através da música e da dança do povo Malinque.

Dona de uma personalidade forte e um sorriso radiante, Nãnan Matos conduz as aulas de dança e percussão com essas mesmas características: força e alegria.

TNM - Nanan Matos

A aula que participei iniciou pela percussão. Os alunos de djembe e dununs aprendiam o ritmo e iam executando a medida que os alunos de dança chegavam. Com o ritmo em andamento, Nãnan passava passos de dança e montava uma coreografia.

No dia em que cheguei à cidade, tinha acontecido também uma edição do Mandenique, um pequenique realizado por Nãnan e regado a cultura mandingue, que além de confraternização entre os alunos, se torna uma pequena amostra do trabalho realizado para quem passa pelo Parque da Cidade.

Uma artista jovem, mas que desenvolve já há bastante tempo trabalhos relacionados a cultura. Recebeu, ainda em 2012, o prêmio para Agentes Jovens de Cultura (MinC), além de outros como melhor intérprete no Festival de Música da Universidade de Brasília FINCA/FLAAC, na categoria AfroCandangoLatinoBrasileiro, e na categoria de júri popular, o prêmio Tom Jobim de Música Brasileira, realizado pelo SESC-DF.

Desde cedo ela desenvolveu habilidades artísticas junto a família no Instituto Comunidade Praia Verde, que realiza ações socioculturais voltadas à comunidade e projetos sobre a cultura de matriz africana.

Nãnan trabalha para difundir e valorizar a diversidade cultural afro-brasileira, multiplicando seu conhecimento por meio da realização de suas oficinas e atividades culturais. A partir das pesquisa, traz para o seu repertório fundamentos da cultura do Oeste Africano, além da música popular regional brasileira, o afro-beat e o funk.

Durante 2015 e ainda em 2016, como cantora trabalha a circulação do show “Ma Binu”, já apresentado nos palcos da FUNARTE, no festival SERNEGRA, no festival Latinidades, no SESC Garagem e no Show de Réveillon (2016), pela Secretaria de Cultura do DF/GDF. Fez parte também da abertura da primeira Reunião sobre a Década Afrodescendente e foi cantora convidada na Marcha das Mulheres Negras 2015.

Para conhecer mais sobre o trabalho de Nãnan Matos, acesse:

https://www.facebook.com/nananmatosmusica/

Serviço

Aulas regulares as quintas, em todos os turnos.

Endereço: 412 Norte – bl.B subsolo – Brasília/DF

 

Perfil Camila CamargoCamila Camargo é negra e bailarina, aspirante a produtora cultural e a percussionista. É formada em Publicidade e Propaganda pela ESPM-Sul e especializada em Design Estratégico pela UNISINOS em Porto Alegre. Está sempre buscando as melhores experiências que o mundo pode proporcionar e os aprendizados que elas trazem. Muito ligada à espiritualidade, tem como intenção de vida criar movimentos de conexão.

 

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By Camila Camargo
Load More In Colunistas

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Afropunk Festival: ativismo, representatividade e cultura negra em Nova Iorque

  Afropunk Festival: ativismo, representatividade e cultura negra ...

Facebook

Newsletter