Eventos

Capão Redondo recebe Girl’s Talk para marcar Dia Internacional da Menina

22050362_861330804032211_3546225946244529865_n

 

Por Semayat Oliveira

Com o objetivo de criar um espaço de protagonismo, diálogo e destaque para meninas e mulheres que estão mudando o mundo, a Plan International Brasil promove no dia 10 de outubro, a partir das 9h30, o Girl’s Talk – evento que reúne histórias inspiradoras num encontro aberto ao público e gratuito no Capão Redondo.

O dia 10 de outubro não foi escolhido ao acaso: ele marca a abertura do Dia Internacional da Menina, celebrado em 11 de outubro, e que chega à sua sétima comemoração. A data foi instituída pela ONU para evidenciar a desigualdade de gênero que coloca meninas e mulheres em desvantagem na sociedade.

É necessário discutir a desigualdade de gênero, a realidade das meninas em todos os cenários, principalmente nas periferias e regiões onde enfrentam mais dificuldades para terem seus direitos respeitados e garantidos.

“Queríamos criar um conteúdo que incentivasse as meninas a lutarem contra a discriminação, a violência e a desigualdade. Então convidamos para palestrar jovens mulheres que, com muita luta e criatividade, têm superado barreiras para ocupar os espaços a que têm direito na sociedade. Essas palestrantes são a inspiração para que outras meninas no Capão e no Brasil lembrem que elas podem ser quem elas quiserem, não importa o seu gênero, sua raça ou sua classe social”, diz Viviana Santiago, gerente técnica sobre gênero da Plan International Brasil.

O evento terá uma programação pela manhã e outra à tarde e os participantes podem se inscrever para assistir uma delas ou ambas. As inscrições são gratuitas e são feitas acessando o formulário disponível em bit.ly/girlstalkparticipe. Mas as vagas são limitadas, de acordo com a capacidade do Teatro do CEU Capão Redondo. Após o evento, o conteúdo das palestras será disponibilizado no canal da Plan International Brasil no Youtube.

O Girl’s Talk é uma demonstração expressiva do potencial e dos brilhantes caminhos que as meninas e mulheres podem e devem ocupar – apesar da imperfeição da realidade que aos poucos está se transformando. A programação reúne nomes de peso como:

  •  Mel Duarte, poeta e produtora cultural. Uma das organizadoras da batalha de poesias “Slam das Minas SP”. Em 2016 ela foi destaque no sarau da Feira Literária Internacional de Paraty e a primeira mulher a vencer o Rio Poetry Slam. Publicou os livros “Fragmentos Dispersos” em 2013 e “Negra Nua Crua” em 2016.
  •   Eliane Dias é moradora do bairro Capão Redondo, advogada, empresária e coordenadora do SOS Racismo na Assembleia Legislativa de São Paulo (ALESP). Fundadora da produtora Boogie Naipe, com o companheiro Mano Brown, hoje ela é responsável pela carreira dos Racionais MC’s. Eliane traz à imprensa nacional debates sobre gênero, classe e raça.
  •  Maria Clara Araújo é uma ativista afrotransfeminista. Graduanda em Pedagogia pela Universidade Federal de Pernambuco, ela idealizou o projeto “Pedagogia da Travestilidade”, que coloca em diálogo a educação e a experiência vivenciada por mulheres trans. Maria Clara também escreve para os sites Blogueiras Negras e Transfeminismo.com.
  •   Jéssica Moreira é cofundadora do coletivo “Nós, Mulheres da Periferia”, que visa construir novas narrativas a partir da voz de mulheres periféricas. A iniciativa venceu os prêmios de mídia negra Almerinda Farias Gama e Antonieta de Barros. Também colabora na “Agência Mural de Jornalismo das Periferias” e na “Rede Jornalistas das Periferias”.
  • Viviana Santiago é negra, mulher, nordestina, professora e mãe. Faz parte da Coletiva Oniras e é gerente técnica de gênero na Plan International Brasil, na militância pelos direitos de meninas, mulheres e da população negra.
  • Alice Juliana é estudante de biologia e a fundadora do grupo “Juventude em Ação Social Comunitária”, cuja missão é levantar a discussão sobre gênero e direitos reprodutivos com meninas e mulheres na cidade de Timbiras, no Maranhão. O objetivo é convidá-las a explorarem e entenderem seus corpos, em nome de sua autonomia, saúde e segurança.
  • Anná é cantora e compositora de Mococa, interior de SP. Já se apresentou ao lado de mestres como Wilson das Neves e Wilson Moreira, e também é cantora no “Afro Ilú Obá de Min”, popular bloco do carnaval de São Paulo. Seu primeiro trabalho autoral é o EP “Pesada”, com faixas que abordam temas como a ditadura dos padrões de beleza e a violência de gênero.
  • Buh D’Angelo é empreendedora e fundadora da InfoPreta, empresa de reparos e serviços de tecnologia que emprega exclusivamente mulheres negras. Formada em eletrônica, automação industrial e robótica, desenvolveu o negócio para dar oportunidade de trabalho a pessoas que estão à margem do mercado. Ela também desenvolve workshops ligando diversidade e tecnologia.
  • Carolina Peixoto é poeta, pedagoga e agente cultural. É uma das criadoras do Slam das Minas SP, batalha de poesias só para mulheres, e integrante do coletivo “Poetas Ambulantes”, que há cinco anos declama e distribui poesias nos transportes públicos. Carol tem dois livros: o infantil “Bola, Lápis e Papel” (2013) e o de poemas “DEZluas” (2017).
  • Gabi Oliveira é a criadora do canal DePretas no YouTube, e uma das youtubers negras mais influentes do Brasil. Com mais de 100 mil inscritos e outros milhares de seguidores nas redes sociais, Gabi aborda assuntos que vão de racismo e feminismo até maquiagem e cuidados para cabelos crespos, sempre de forma didática e despojada.

O evento é realizado pela Plan International Brasil, eleita a melhor ONG que cuida das crianças e adolescentes do nosso país em 2017 pelo “Melhores ONGS Época”. Fundada em 1937, a Plan International é uma organização não-governamental, não-religiosa e apartidária que defende os direitos das crianças, adolescentes e jovens, com foco na promoção da igualdade de gênero. A Organização luta por um mundo justo, que promova os direitos das crianças e igualdade para as meninas, além de engajar pessoas e parceiros na  causa.

A produção é da Catalize Lab, uma empresa que acredita no poder da arte e da comunicação para a transformação social. Sua atuação visa criar e implementar estratégias inovadoras de comunicação para dar visibilidade a causas relevantes e engajar novos atores sociais em busca de mudanças.

Girl’s Talk

Data: 10 de outubro (terça-feira)

Endereço: Rua Daniel Gran, s/n (CEU Capão Redondo)

Horários:

Manhã: 9h30 às 12h30

Tarde: 14h às 16h30

Entrada franca. Inscrições pelo site www.girlstalk.com.br ou pelo formulário: bit.ly/girlstalkparticipe

 

Compartilhe esta notícia
Load More Related Articles
Load More By TNM
Load More In Eventos

Facebook Comments

deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Além disso, verifique

Afropunk, um movimento cultural negro em plena ascensão

A primeira vez que eu vi algumas fotos ...

Facebook

Newsletter